Esse tipo de câncer é raro, de difícil detecção e tem um comportamento agressivo

 Para falar mais sobre o câncer de pâncreas, um tipo raro da doença, o mês de setembro recebe a cor roxa para chamar atenção a algumas características importantes: a difícil detecção e a agressividade deste câncer.

Para compartilhar mais informações junto a pacientes e acompanhantes, a Oncoradium de Imperatriz promoveu uma palestra na recepção da unidade.

De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (INCA), o câncer de pâncreas tem uma taxa alta de mortalidade. Os principais sintomas da doença são fraqueza, perda de peso, falta de apetite, dor abdominal, urina escura, olhos e pele de cor amarela, náuseas e dores nas costas.

“É importante investigar quando aparecerem os sinais e sintomas, pois o diagnóstico precoce influencia muito no tratamento, que vai depender da fase de descoberta da doença”, destacou a assistente social, Luzimar Mourão.

Entre as principais formas de evitar o câncer de pâncreas é adoção de um estilo de vida mais saudável. “Evitar o fumo, praticar atividade física regular, adotar uma alimentação saudável e evitar a ingestão de álcool”, afirma Luzimar.

O INCA alerta também que o sobrepeso e obesidade são fatores de risco para desenvolver diabetes, que também aumenta o risco para câncer de pâncreas.