A ação faz parte da programação Abril Azul-claro, que trabalha a prevenção à doença

Abril Azul-claro é o mês de conscientização sobre o câncer de esôfago, por isso pacientes e acompanhantes da Oncoradium de Imperatriz participaram de uma palestra sobre a doença na recepção da unidade.

De acordo com dados do Instituto Nacional de Câncer (INCA), no Brasil, o câncer de esôfago (tubo que liga a garganta ao estômago) é o sexto mais frequente entre os homens e o 16º entre as mulheres.

No Maranhão, a estimativa de 2018 foi de 80 casos da doença. Um desses casos foi do aposentado João Patrício de Araújo, de 80 anos, que sentiu os primeiros sintomas na ingestão de alimentos.

“Eu senti aquele entalo na hora de comer, passei por uma endoscopia e descobriram o tumor maligno”, afirmou o paciente.

O neto do aposentado revela que a família teve um susto quando recebeu o diagnóstico, mas o tratamento está seguindo bem. “O câncer não é fácil, mas meu avô está sendo tratado e quase terminando o tratamento. Eu só tenho a agradecer pelo carinho recebido na Oncoradium”, destacou Girlan Araújo.

O câncer de esôfago é ainda oitavo mais frequente no mundo e a incidência em homens é cerca de duas vezes maior do que em mulheres.

Sintomas e tratamento

O tipo de câncer de esôfago mais frequente é o carcinoma epidermoide escamoso, responsável por 96% dos casos. Outro tipo, o adenocarcinoma, vem aumentando significativamente.

“Esse câncer é muito silencioso. Dores na região torácica, dificuldade de engolir, vômito e perda de apetite são alguns dos sintomas. Se o diagnóstico for feito precocemente, a chance de cura é muito grande”, explicou o colaborador da Oncoradium, Pedro Nogueira da Costa, ao lado da assistente social da unidade, Luzimar Ferreira da Costa.

Os fatores de grande risco são tabagismo e refluxo ácido mal controlado.

O tratamento se concentra na remoção do câncer por meio de cirurgia com posterior tratamento de quimioterapia e/ou radioterapia.