Profissionais da clínica receberam orientações sobre a “Enzalutamida” método de tratamento que busca proporcionar o bem-estar do paciente que está em tratamento

Profissionais da Oncoradium Araguaína receberam orientações sobre o uso da Enzalutamida, substância ativa indicada para o tratamento de câncer de próstata metastático resistente à castração. A apresentação da medicação foi realizada pela médica oncologista Dra. Carla Mazzuco, MSL da Astellas, indústria responsável pelo desenvolvimento da droga. Ela explica que o medicamento é o único aprovado para todas as fases do câncer resistente à castração.

“Esse medicamento tem aprovação para uma fase do câncer de próstata que já é mais avançada. Muitas vezes, o paciente já vai ter feito cirurgia, radioterapia e até recebido a hormonioterapia. O grande benefício da Enzalutamida é que ela pode ser usada antes ou depois da quimioterapia, além de facilitar muito por ser uma medicação oral, tomada uma única vez ao dia”, destaca a oncologista.

Dados

Segundo dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca), o câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens, atrás apenas do câncer de pulmão. Ainda segundo o levantamento, a cada 40 minutos um homem morre no Brasil com câncer de próstata.

Luciana Ribeiro, consultora técnica das Astellas destaca a importância das informações para os profissionais da região norte do país.

“Nós trouxemos o evento até Araguaína com o intuito de atualizar esses profissionais que estão em contato direto com os pacientes para que eles possam ter dados mais recentes do tratamento do câncer de próstata em estado avançado e assim poder escolher a melhor opção de tratar seu paciente”, disse.

O melhor para o paciente

A farmacêutica da Rede Oncoradium, Michelle Soares, acredita que o assunto trouxe muitos esclarecimentos e que os profissionais estão prontos para receber o paciente de uma forma mais acolhedora. “Esse paciente está aí, ele vai chegar pra nós. A nossa equipe já está preparada, atualizada e engajada para receber ele e, claro, fazer com que o paciente tenha uma melhor qualidade de vida nessa fase do tratamento”.

O medicamento pode adiar complicações que comprometem a qualidade de vida dos pacientes, assim como a necessidade de realização de tratamentos mais agressivos, como a quimioterapia convencional. A médica oncologista da Oncoradium, Dra. Ariana Sales Luz, destaca que, na prática, a discussão sobre o assunto proporciona uma união entre a urologia e a oncologia.

“O maior beneficiado com o medicamento e com essa interação entre as duas áreas é o paciente. A Enzalutamida é uma excelente medicação quando falamos no paciente com câncer resistente à castração. A expectativa para nós profissionais é de que o medicamento nos ajude aumentar o número de pacientes com uma melhor qualidade de vida”, finaliza.