Médico oncologista fala das principais dúvidas que chegam ao consultório e reforça que informações confiáveis são o caminho para não gerar preocupações desnecessárias

De acordo com o Ministério da Saúde, câncer é o nome dado a um conjunto de mais de 100 doenças que têm em comum o crescimento desordenado de células, que invadem tecidos e órgãos. Os diferentes tipos de câncer correspondem aos vários tipos de células do corpo.

O Oncologista Clínico da Oncoradium de Marabá (PA), Leandro Almeida Assunção, afirma que, muitas vezes, não é possível explicar por que um determinado tipo de câncer se desenvolveu no paciente.

“Muitos tumores não possuem origem confirmada, eles podem ter muitas causas”, pontua.

“Por que comigo?”

Quando o câncer começa em tecidos como pele ou mucosas, ele é chamado de carcinoma. Se o ponto de partida são os tecidos como osso, músculo ou cartilagem, a denominação é sarcoma.

Dr. Leandro esclarece que as dúvidas são comuns quando o paciente descobre algum tipo de câncer.

“As mais frequentes são ‘Por que comigo?’, ‘Eu peguei de alguém?’, ‘Passo para a minha esposa/marido? E pros filhos?’. Os questionamentos são muitos, os medos são imensos e as preocupações são infindáveis” explica o médico.

Uma informação muito importante para ser divulgada é que o câncer não é contagioso. Um paciente não passa a doença para a outra pessoa e muito menos ela foi infectada por alguém.

Não é o fim do mundo

Atualmente existem muitas tecnologias que auxiliam no tratamento contra o câncer. Desde o diagnóstico precoce, responsável pela maior chance de cura, até os tratamentos com diversas estratégias de “ataque” ao câncer, como a quimioterapia, imunoterapia, radioterapia, entre outras. Há também as medicações que podem reduzir a toxicidade do tratamento.

“Alguns pacientes, ao receberem o diagnóstico de câncer, entram em colapso emocional e creem na fatalidade, como se o tumor fosse uma sentença de morte ou de prisão perpétua, e não é assim. O paciente não precisa ser vitimizado ou prejudicar o processo de tratamento e cura. Ele é um forte guerreiro e possui condições de seguir a vida com a garra que sempre teve”, pontua Dr. Leandro.

Atenção especial

O paciente diagnosticado com câncer deve ter alguns cuidados como qualquer tratamento de saúde.

“Ele precisa consumir bastante água, evitar se expor a situações de risco e seguir a orientação da equipe oncológica. O câncer não é contagioso, logo não precisa restringir o círculo de amizades e contatos. Ele deve apenas respeitar os períodos de quimioterapia por conta da imunidade reduzida”, afirma.

Confie sempre no profissional especializado

Dr. Leandro ainda acrescenta que os tumores possuem tratamentos específicos e individualizados.

“Quando o paciente for diagnosticado com câncer, ele necessitará de orientações de profissionais habilitados e não seguir “dicas” de profissionais midiáticos. Os tumores possuem tratamentos específicos que devem ser implantados por uma equipe oncológica, desde a sua cirurgia, ao seu tratamento com quimioterapia, radioterapia, nutricional, farmacêutico, psicológico, social e familiar”, finaliza o médico da Oncoradium.

 Imagem: http://www.aconfrariadasdivas.com.br